Cuiabá, 12 de julho de 2020

Defensoria aciona emissora e apresentador de TV por atos homofóbicos

Por: Ana Moura - 30 de junho de 2020

Defensores, Carlos Eduardo de Souza e Clodoaldo Queiroz

A Defensoria Pública de Mato Grosso ingressou com uma ação civil pública (ACP) contra o Sistema MBS de Comunicação LTDA, na pessoa de sua sócia-proprietária, Vera Lúcia Cardoso, e Welerson de Oliveira Dias, apresentador de TV e radialista em Alta Floresta, solicitando indenização no valor de R$ 100 mil por dano moral coletivo contra a comunidade LGBTQI+. No dia 17 de junho, de acordo com a ação, o apresentador do programa Olho Vivo (TV Nativa/Record Alta Floresta) imitou o defensor público Vinicius Ferrarin Hernandez, fazendo piadas homofóbicas sobre sua orientação sexual.

A ACP foi requerida pelo defensor público-geral, Clodoaldo Queiroz, e pelo defensor público Carlos Eduardo de Souza. Os autores refutam a tese de que a liberdade de expressão possa ser invocada para eximir atos discriminatórios. Segundo o defensor público-geral, a liberdade de expressão é assegurada a todos, mas vem junto com a responsabilidade que devemos ter por tudo aquilo que falamos.

Leia mais AQUI